by - 4:19 PM








Era uma vez uma princesa de rua. Temperamental. Sentimental. Virginiana. Uma diva de sandálias havaianas. Uma santa de mini-saia. Uma louca quase normal. Uma contradição. Ela gostava de música pop e reggae, sorvete de ameixa e frases perdidas em post-its. Ela era doce. (Mas também sabia ser ácida). Tinha os olhos e cílios grandes que serviam para cortas as lágrimas em fatias quando esses mesmos olhos acabavam borrados. Ela tinha uma mania estranha de anotar coisas importantes em papéis que sabia que depois iria perder. Ela acreditava em amor de verdade, gostava de ler e estava cansada. Cansada de amar errado. Cansada de dar sem receber. Cansada de não dar satisfação. Cansada de acreditar nas pessoas e de chorar debaixo de seus óculos escuros ou em frente do computador. Essa princesa só deseja conhecer um príncipe que nem precisa ser engomadinho e pode até ser tatuado, ter piercing... e daí? O que ele precisa não é ser igual em tudo. Eles até podem não combinar em nada. Nem igual, nem diferente apenas único. Ele só precisa fazer a princesa acreditar todos os dias que o amor não é só uma palavra bonita. Trocar desejos e emprestar o coração. E se dar. Construir um amor sem tamanho e que acabe sendo tamanho único. Único para eles que ao se reconhecerem um no outro pensem: taí um amor que eu quero pra mim. A princesa na verdade só precisa acreditar outra vez que amor de verdade existe e que faz a gente ser feliz apesar de tudo. E sempre.




Trilha incidental
Mas hoje eu acordei
com uma vontade danada
de mandar flores ao delegado
de bater na porta do vizinho
e desejar bom dia
de beijar o português
da padaria
Telegrama - Zeca Baleiro
Texto original de Fernanda Melo
Adaptado por mim*

You May Also Like

7 comentários

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo4:26 PM

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Flávia Correa4:59 PM

    Este texto que vc postou é de autoria de Fernanda Mello e foi publicado no blog dela. Seria gentil e correto colocar o crédito a ela, assim como vc fez na música do Zeca Baleiro. Obrigada.
    Flávia

    ResponderExcluir
  4. Rita Duarte5:08 PM

    Tudo bem que esse texto é lindo mesmo, mas custa colocar o nome de quem escreveu?? eu tb sou fã da Fernanda Mello. Ela jamais faria isso com vc, tenho certeza. cuidado!

    ResponderExcluir
  5. PEDE PRA SAIR!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Debora6:30 PM

    olá, vim aqui só ratificar o pedido das meninas: por favor, querida, todas nós admiramos os textos da FERNANDA MELLO, mas admiração requer RESPEITO, então, por gentileza, coloque os devidos créditosno texto acima. é muito feio, deselegante e cruel tomar posse indevidamente das palavras de outra pessoa. RESPEITO É BOM E TODO MUNDO GOSTA! OBRIGADA!

    ResponderExcluir